Miguel Mota: “O Vianense foi uma equipa madura e conseguiu gerir bem o jogo”

Miguel Mota: “O Vianense foi uma equipa madura e conseguiu gerir bem o jogo”

Miguel Mota: “O Vianense foi uma equipa madura e conseguiu gerir bem o jogo”

O Sport Clube Vianense viajou, este domingo, até Paredes de Coura para disputar a 19ª jornada do campeonato frente ao SC Courense. A vitória pela margem mínima (1-0), que Miguel Mota considerou muito importante, permitiu à equipa isolar-se na liderança.  

“Foi uma vitória extremamente difícil e extremamente importante. (…) Não desprezando a equipa do Courense, que é uma excelente equipa e criou-nos enormes dificuldades, acho que o Vianense acabou por estar estável, controlou sempre bem e nunca passamos por uma situação difícil, por assim dizer. O jogo acabou por ser repartido, mas o Vianense foi uma equipa madura e conseguiu gerir bem o jogo.” 

O golo da vitória surgiu por intermédio de Ruca, ainda na primeira parte. Contudo, apesar das oportunidades criadas ao longo do encontro, não foi possível dilatar o marcador.

“Acabamos por fazer um golo de bola parada, mas tivemos mais uma ou outra situação em que o poderíamos ter feito, inclusive na segunda parte, mas depois no último terço faltou-nos um bocadinho mais de qualidade e critério.” 

Na próxima jornada, o SC Vianense recebe o Atlético dos Arcos, atual segundo classificado. O treinador garantiu que o foco está no trabalho a ser feito e não no adversário.  

“Internamente focamo-nos sempre no nosso trabalho. Estando à frente, só dependemos de nós e é nisso que nos focamos. Nunca pensamos muito nos nossos adversários diretos na luta pela subida de divisão, pensamos sim no que temos de fazer.” 

Miguel Mota aproveitou para deixar um apelo aos Vianenses e elogiar também a entrega dos jogadores:  

“Aproveito para apelar a todos os Vianenses para que nos apoiem, que apareçam mais no estádio e nos ajudem. Para nós é importante, dá conforto aos jogadores e acho que eles merecem. Têm feito um trabalho inexcedível e têm tido um compromisso fantástico. (…) A cidade quando entender que deve responder e deve estar lá, estaremos de braços abertos para a receber, contentes. A cidade faz parte daquilo que é o Vianense e os jogadores sentem esse conforto e gostariam de ter mais gente a ver os jogos. Acreditamos que isso vai acontecer, mais cedo ou mais tarde, pelo caminho que temos feito.” 

 

Marcelo Faria: “A nossa equipa é uma família” 

Marcelo Faria reconheceu que a vitória sobre o SC Courense foi complicada, mas mostrou-se contente pela conquista dos três pontos e permanência no primeiro lugar.  

“Sabíamos que íamos encontrar um adversário muito dedicado. Vinha de um empate (3-3) em casa de um candidato ao título como é o Valencianos e, na casa deles, a precisarem de pontos, sabíamos que ia ser um jogo muito difícil. O tempo também não ajudou, por isso, tivemos de vestir o fato de macaco, trabalhar muito e ter muita bola. Foi o que fizemos e conseguimos uma vitória muito importante, que nos continua a colocar na primeira posição.” 

Após o apito final, a vitória foi festejada efusivamente pelos jogadores, algo que para o médio se deve ao esforço e dedicação deixados em campo.  

“A nossa equipa é uma família. A equipa técnica, a direção, o clube todo! O clube precisa de subir de divisão, é o grande objetivo que temos e isso é visível em todos os jogos. Qualquer adepto que venha ver um jogo do Vianense sai completamente contente, porque damos o sangue por esta camisola. É por isso que o final do jogo é tão festejado. Só nós sabemos o quanto custa e o quanto lutamos para dar a subida de divisão ao Vianense.” 

O jogador, que regressou esta época à casa que tão bem conhece e tem sido um elemento fundamental para Miguel Mota, deixou também claro que o seu único objetivo é “ajudar a equipa a ser campeã”.  

“Estamos a jogar por um clube, mas também por uma cidade, por cada vianense, porque este clube não pode estar nesta divisão e, por isso, quando entro em campo, não penso em mim, penso no Vianense que é o importante.”